Internacional

Obispos brasileños cuestionan Medida Provisional sobre educación secundaria

Obispos brasileños cuestionan Medida Provisional sobre educación secundaria

La Medida Provisional (MP) 746 que modifica el actual sistema de educación secundaria en Brasil, ha causado inconformidad entre la población porque adopta el  “turno integral” y reduce el número de disciplinas obligatorias, entre ellas Sociología y Filosofía.

Como protesta, cientos de escuelas públicas fueron ocupadas desde el 14 de octubre por un movimiento dirigido por estudiantes, quienes también desaprueban la Propuesta de Enmienda Constitucional (PEC 241), redactada por el Presidente Michel Temer,  y que limitaría el gasto del gobierno durante 20 años para reducir el déficit presupuestario y pagar la deuda del país.

Por esta razón, la Conferencia Nacional de Obispos de Brasil (CNBB) publicó una declaración sobre la MP 746 propuesta por el gobierno actual. Los Obispos consideran que a pesar de ser una iniciativa que busca reflexionar, discutir y mejorar la realidad de la educación brasileña, el que sea una apresurada búsqueda de la solución sólo limita las posibilidades de llegar a un acuerdo.

Además, los Obispos hacen hincapié en que la educación debe formar al individuo de manera humana, por lo tanto, “el enfoque de las escuelas no sólo puede estar en un conocimiento tecnológico e instrumental”.  Porque ante “un contexto de crisis de la ética es un disparate proponer una medida que trate de preparar personas para el mercado y no para la ciudadanía”.

“Decir que disciplinas como la Filosofía, Sociología, Educación, Física, Arte y Música son opcionales en la formación del ser humano es apostar por un modelo de formación técnica que favorece la lógica del mercado y no el desarrollo integral de la persona y de la sociedad. No sólo se extiende la dimensión intelectual, sino todas las dimensiones del ser humano en busca del sentido de la vida” redactan la CNBB en su declaración.

En la parte final, invitan a la sociedad en general, especialmente a los estudiantes y sus familias a tener una participación popular pacífica a fin de buscar soluciones, dejando atrás la apatía y resignación. Además, proponen que eviten conflictos con terceros y respeten la propiedad pública.

El texto completo del comunicado de la Conferencia Nacional de Obispos de Brasil (CNBB)(en portugués) es el siguiente:

NOTA DA CNBB SOBRE A “REFORMA DO ENSINO MÉDIO” – MP 746/16

“A fim de que os estudantes tenham esperança!”
(Papa Francisco, 14 de março de 2015)

O Conselho Episcopal Pastoral (Consep), da Conferência Nacional dos Bispos do Brasil (CNBB), reunido em Brasília-DF, nos dias 22 e 23 de novembro de 2016, manifesta inquietação face à Medida Provisória 746/16 que trata da reforma do Ensino Médio, em tramitação no Congresso Nacional.

Segundo o Poder Executivo, a MP 746/16 é uma proposta para a superação das reconhecidas fragilidades do Ensino Médio brasileiro. Sabe-se que o modelo atual não prepara os estudantes para os desafios da contemporaneidade. Assim, são louváveis iniciativas que busquem refletir, debater e aprimorar essa realidade.

Contudo, assim como outras propostas recentes, também essa sofre os limites de uma busca apressada de solução. Questão tão nobre quanto a Educação não pode se limitar à reforma do Ensino Médio. Antes, requer amplo debate com a sociedade organizada, particularmente com o mundo da educação. É a melhor forma de legitimação para medidas tão fundamentais.

Toda a vez que um processo dessa grandeza ignora a sociedade civil como interlocutora, ele se desqualifica. É inadequado e abusivo que esse assunto seja tratado através de uma Medida Provisória.

A educação deve formar integralmente o ser humano. O foco das escolas não pode estar apenas em um saber tecnológico e instrumental. Há que se contemplar igualmente as dimensões ética, estética, religiosa, política e social. A escola é um dos ambientes educativos no qual se cresce e se aprende a viver. Ela não amplia apenas a dimensão intelectual, mas todas as dimensões do ser humano, na busca do sentido da vida. Afinal, que tipo de homem e de mulher essa Medida Provisória vislumbra?

Em um contexto de crise ética como o atual, é um contrassenso propor uma medida que intenta preparar para o mercado e não para a cidadania. Dizer que disciplinas como Filosofia, Sociologia, Educação Física, Artes e Música são opcionais na formação do ser humano é apostar em um modelo formativo tecnicista que favorece a lógica do mercado e não o desenvolvimento integral da pessoa e da sociedade.

Quando a sociedade não é ouvida ela se faz ouvir. No caso da MP 746/16, os estudantes reclamaram seu protagonismo. Os professores, já penalizados por baixos salários, também foram ignorados. Estes são sinais claros da surdez social das instâncias competentes.

Conclamamos a sociedade, particularmente os estudantes e suas famílias, a não se deixar vencer pelo clima de apatia e resignação. É fundamental a participação popular pacífica na busca de soluções, sempre respeitando a pessoa e o patrimônio público. A falta de criticidade com relação a essa questão trará sérias consequências para a vida democrática da sociedade.

Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil, interceda por nós.

Brasília, 23 de novembro de 2016.

Dom Murilo S. R. Krieger, SCJ
Arcebispo de São Salvador da Bahia
Presidente em exercício da CNBB

Dom Guilherme A. Werlang, MSF
Bispo de Ipamerí
Comissão Episcopal para o Serviço da Caridade da Justiça e da Paz

Dom Leonardo Ulrich Steiner, OFM
Bispo auxiliar de Brasília
Secretário-geral da CNBB

Fuente: Caritas América Latina y El Caribe, CNNBB

 

GD Star Rating
loading...
GD Star Rating
loading...
Print Friendly, PDF & Email